• VOLTAR
  • Imprimir
  • ENVIAR
  • A+ A-
Pesquisador do Cepel palestra em oficina sobre eficiência energética no setor de saneamento

Detalhes: Notícias

Pesquisador do Cepel palestra em oficina sobre eficiência energética no setor de saneamento

12-09-2019

No último dia 10, o assessor da Diretoria Geral do Cepel George Alves Soares foi um dos palestrantes da Oficina de Planejamento do Projeto de Eficiência Energética do Setor de Saneamento. A atividade integra as ações do ProEESA – Fase II, projeto de cooperação técnica entre os governos brasileiro e alemão para redução de perdas e fomento à eficiência energética no setor. O evento foi realizado no Instituto Serzedello Corrêa, a Escola Superior do Tribunal de Contas da União, em Brasília (DF). Em sua apresentação, George discorreu sobre os benefícios da ISO 50.000, que trata de sistema de gestão de energia, e da ISO 55.000, que trata de sistemas de gestão de ativos, bem como sobre as vantagens de integração das duas normas.

 


O assessor assinala que o setor de saneamento consome cerca de 2% da energia elétrica do país e que as companhias estaduais deste segmento são grandes consumidores das concessionárias de energia. Em decorrência, é importante uma gestão sistematizada para garantir que as ações de eficiência energética se perenizem com o tempo. “Um dos problemas de implementar ações de eficiência energética sem um sistema de gestão é que, depois de alguns anos, as ações não se mantêm e voltam os desperdícios. Quando se tem um sistema de gestão, garante-se que os ganhos obtidos se perpetuem”, afirma.

 


George destaca o interesse das companhias de saneamento e das agências reguladoras em inserir critérios de eficiência energética no setor, seja em financiamento, seja nos índices de diminuição de perdas. Para se ter uma ideia, cerca de 40% da água captada são perdidos na distribuição, especialmente por vazamentos. De acordo com o especialista, a intenção é, portanto, tornar o setor de saneamento ambiental mais eficiente em termos empresariais.

 


“A norma de gestão de ativos ISO 55.000 introduz o conceito e a prática de gerar valor por meio dos ativos em consonância com as metas empresariais. A implementação integrada das duas normas [ISO 50.000 e 55.000] proporciona diversos benefícios, como redução de custos de implantação, eliminação de duplicidades desnecessárias, intensificação nos resultados de cada sistema e melhoria contínua por meio de metas corporativas. As normas de gestão de energia e de gestão de ativos são ferramentas eficazes na busca da excelência empresarial”, ressalta George.

 


Estiveram presentes no evento representantes do Ministério de Minas e Energia (MME), do Ministério de Desenvolvimento Regional (MDR), da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit – GIZ (agência de cooperação no âmbito do Acordo de Cooperação Técnica Brasil-Alemanha), de agências reguladoras federais e regionais, de companhias de água e de associações de classe.

 


Sobre o ProEESA

 


O ProEESA (Projeto de Eficiência Energética em Sistemas de Abastecimento de Água) é uma parceria da Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental do MDR com o Ministério Federal da Cooperação Econômica e do Desenvolvimento (BMZ) da Alemanha. A iniciativa é executada pela GIZ. Este projeto de colaboração técnica teve início em janeiro de 2016 e atualmente se encontra no início da segunda fase.