• VOLTAR
  • Imprimir
  • ENVIAR
  • A+ A-
Cepel apresenta sua experiência na área de Corrosão em seminário das empresas Eletrobras

Detalhes: Notícias

Cepel apresenta sua experiência na área de Corrosão em seminário das empresas Eletrobras

09-09-2019

Pesquisadores do Cepel  participaram do seminário das empresas Eletrobras sobre corrosão de estruturas e equipamentos, realizado entre 02 e 04 de setembro, na Vila de Praia Brava, pertencente à Eletronuclear, em Angra dos Reis (RJ). O objetivo do evento foi compartilhar os desafios na área, bem como as soluções passíveis de serem implementadas e que podem resultar em benefícios importantes para o processo de gestão dos ativos das empresas do Grupo.

 

O Cepel foi representado pela equipe do Laboratório de Corrosão, integrada por Alberto Ordine,  Cristina Amorim, Elber Bendinelli e Marcos Sá. Também participaram do evento representantes  da Eletrobras, Eletronuclear, Furnas, Eletronorte e Eletrosul.

 

Como esclarece Alberto Ordine, a realização do seminário era uma das metas de 2019 do Subgrupo Corrosão do Grupo Técnico de Laboratórios (GTL) da Comissão de Política Tecnológica da Eletrobras (CPT), instituído em 2016.  Ele explica que as atividades do Subgrupo abrangem a divulgação de resultados dos projetos de pesquisa experimental da equipe de Corrosão para as empresas Eletrobras.  “Esta divulgação é realizada durante a reunião anual presencial dos integrantes do Subgrupo. No entanto, ano passado, decidimos fazê-la em 2019 por meio de um evento que agregasse as empresas Eletrobras. A equipe técnica que organizou o seminário foi composta pelos participantes do Subgrupo Corrosão da Eletronuclear e do Cepel”.

 

A abertura do evento foi realizada por Fabiano Portugal, superintendente de Operação da Eletronuclear, e contou com uma palestra sobre a CPT, ministrada por Alberto Ordine. Os dois primeiros dias do seminário foram marcados por várias palestras técnicas, com apresentações do Cepel nos painéis sobre Pintura Anticorrosiva, Corrosão Atmosférica, Corrosão em Solo, Resistência de Materiais à Corrosão e Preparação de Superfície. O encerramento do segundo dia de palestras ficou a cargo de Ronaldo Cardoso, superintendente de Manutenção da Eletronuclear. No dia 04, os participantes realizaram uma visita técnica à Usina de Angra 2.

 

De acordo com Geraldo Rosa, da Área de Planejamento e Controle de Trabalho da Eletronuclear, integrante da comissão organizadora do evento e um dos palestrantes,  o seminário foi um sucesso. As palestras técnicas suscitaram diversos questionamentos, promovendo bastante interação entre palestrantes e participantes.

 

“Como aspectos relevantes para o trabalho de prevenção e combate à corrosão, destaco a importância da qualificação técnica dos profissionais que atuam como pintores  e inspetores de pintura, o uso das técnicas corretas para cada tipo específico de aplicação e a busca constante por novas tecnologias mais eficazes no combate à corrosão. Destaco, em especial, e parabenizo,  esse importante e crucial trabalho desenvolvido pelo Laboratório de Corrosão do Cepel  junto às empresas Eletrobras”, acrescenta Geraldo.

 

 

Parceria Cepel-Eletronuclear

 

O Cepel  tem duas estações de corrosão atmosférica para realização de ensaios de exposição natural. Uma delas fica na Unidade Fundão. A outra, na Vila Residencial de Mambucaba, pertencente à Eletronuclear e localizada em Paraty (RJ), onde as propriedades anticorrosivas dos revestimentos são avaliadas em um ambiente úmido e submetido constantemente à névoa salina, fatores que aceleram o processo corrosivo. Os ensaios no local possibilitam o projeto de sistemas de proteção contra corrosão mais resistentes para uso em atmosferas marinhas. Inclusive, a determinação do grau de corrosividade atmosférica desta estação foi tema de uma das palestras do Cepel no evento.

 

O Cepel e a Eletronuclear também instalaram, em junho deste ano, um novo local para exposição de corpos de prova dentro da Usina de Angra 2, na região da tomada d'água, onde os equipamentos necessitam de pintura constante devido ao grau extremo de corrosividade atmosférica. O objetivo é estudar tecnologias de revestimentos anticorrosivos para ampliar a vida útil dos equipamentos, reduzindo custos com manutenção.

 

O próximo encontro do Subgrupo de Corrosão será realizado no dia seguinte ao Seminário de Corrosão para o Setor Elétrico (SCSE), em outubro de 2020.